17 novembro 2015

Município de Vendas Novas aprova, sem votos contra, orçamento para 2016

Documentos previsionais foram aprovadas em reunião da Câmara e da Assembleia Municipal

Os Documentos Previsionais para 2016, constituídos pelas Grandes Opções do Plano (GOP's) e Orçamento, foram aprovados na reunião da Câmara Municipal de Vendas Novas de dia 26 de outubro e, posteriormente, na Assembleia Municipal de 13 de novembro.

O orçamento para 2016 comporta o valor de 8.901 milhões de euros, mais 3% que o deste ano, verificando-se um saldo corrente positivo no valor de 1.261.136 euros, o qual financiará as despesas de capital, incluindo a amortização da dívida. Depois do Município ter conseguido reduzir a dívida a fornecedores, cumprir os pagamentos previstos em cada ano à banca e implementar alguns projetos estruturais de investimento e de ações que têm criado uma nova dinâmica municipal, é altura de assumir uma viragem no mandato e uma visão mais otimista quanto ao futuro.

De acordo com o documento agora aprovado, que inclui o Plano Plurianual de Investimentos (PPI) e as atividades mais relevantes da gestão autárquica, as áreas sociais e económicas e a continuação de uma gestão com rigor e transparência, são consideradas as vertentes prioritárias de ação para o próximo ano.

Assim, estão entre as prioridades do executivo, continuar a apoiar a população mais desfavorecida através da atribuição de habitação social, do funcionamento do Espaço Solidário e da oferta de bens alimentares no Natal Solidário; a reabilitação de fogos devolutos e, como novidade, o lançamento do Cartão do Munícipe e da Compartição de Medicamentes aos Idosos Mais Carenciados. Ainda no plano social, irá entrar em funcionamento o Banco Local de Voluntariado e o Plano Municipal para a Igualdade.

A nível económico, o Município pauta a sua atuação pelo reforço do estímulo à instalação e modernização de agentes económicos, usando, para isso, medidas como a dinamização do GIP – Gabinete de Inserção Profissional, para contrariar as tendências de desemprego; o reforço da promoção do Parque Industrial, principal infraestrutura geradora de emprego no Concelho e o lançamento do Viveiro de Empresas e Cowork, que irá ficar sediado no edifício do Mercado Municipal.

Outro fator a ter em conta é o aumento da capacidade de financiamento do Município através do novo quadro comunitário, onde eixos como a Reabilitação Urbana do Centro Consolidado de Vendas Novas, a Mobilidade Urbana Sustentável e a Intervenção nas Comunidades Desfavorecidas são prioridades locais.