Ciclo Urbano da Água em Vendas Novas

Água

Captação da Água
A captação da água consiste num conjunto de operações necessárias para retirar de um determinado ponto, água, que posteriormente será utilizada por nós.
No concelho de Vendas Novas a água que corre nas torneiras é captada subterraneamente em cerca de 11 captações, em três locais distintos (Bica Fria /Faias (9), Landeira (1) e Piçarras (1)), com profundidades que vão até aos 150 m, o que lhe confere uma excelente qualidade logo na origem.


Tratamento da Água
O tratamento de água para consumo humano é realizado numa Estação de Tratamento de Água (ETA) ou num Posto de Cloragem (PC), consoante a água captada necessite de maior ou menor intervenção, correspondentemente.
Como a qualidade da água captada nos furos de Vendas Novas é logo na sua origem de boa qualidade, não é justificável outro tipo de tratamento que não a sua desinfecção através da adição de uma solução aquosa com cloro.


Reservatórios
Após tratamento, a água é transportada por condutas de adução, até aos reservatórios existentes na cidade, que por serem elevados garantem um fornecimento com pressão adequada através exclusivamente da força da gravidade.
Encontra-se em fase de construção um novo reservatório que vai permitir resolver problemas de falta de pressão nas zonas altas da cidade e permitir uma maior capacidade de armazenamento de água.


Tratamento da água residual
Após a nossa utilização, a água tem que ser tratada para que quando devolvida à natureza o prejuízo seja mínimo, ou se possível nulo.
É nas Estações de Tratamento de Água Residual (ETAR) que se procede à “limpeza” da água residual através de vários processos físicos, químicos e biológicos.
O tratamento é efectuado de forma a cumprir as normas de descarga no meio natural, estabelecidas na respectiva legislação em vigor.
Em Vendas Novas, a ETAR encontra-se em remodelação de forma a responder melhor às necessidades que a lei exige.
A nova linha de tratamento inclui alterações fundamentalmente a nível dos tratamentos preliminar, primário e de lamas, designadamente com introdução de decantador primário, espessador gravítico para lamas primárias, digestão anaeróbia a frio, armazenamento de biogás em gasómetro a baixa pressão e queima do biogás em tocha, bem como desidratação de lamas por centrifugação e armazenamento das mesmas em silo. O tratamento secundário manter-se-á através do sistema de lagunagem já existente.
Depois de pronta, a ETAR terá capacidade para tratar 4.298 m3/dia e vai servir 17.500 habitantes equivalentes.