Estações Ferroviárias

​A primeira fase da construção de linhas de caminho-de-ferro em Portugal decorreu nas décadas de 1850/60, impulsionada pelo Rei D. Pedro V, sendo a ligação de Lisboa a Carregado a primeira a ser inaugurada, em 1856.

No ano seguinte, a 15 de junho, foi inaugurado o troço da “Linha do sul” entre Barreiro e Bombel e em 01 de fevereiro de 1861 o restante troço até Vendas Novas e respetiva estação ferroviária, sendo por isso uma das primeiras localidades do país a ser servida por ferrovia.


A construção da estação de Bombel foi resultado de uma permuta com a Sereníssima Casa, do então Duque de Bragança D. Carlos I, que também cedeu o terreno para o restante troço.

A estação de Vendas Novas trouxe o progresso para a então aldeia que, devido à sua posição geográfica privilegiada, foi durante algum tempo o terminal da linha.

A segunda fase da “Linha do sul” (atual Linha do Alentejo) entre Vendas Novas, Évora e Beja, inaugurada em 1863/64, foi já construída com uma largura superior à que existia até Vendas Novas, sendo que as mercadorias e os passageiros eram obrigados a fazer transbordo nesta localidade.

A Linha de Vendas Novas – Setil foi inaugurada em janeiro 1904 e ligou a rede do sul e sueste na estação de Vendas Novas.

Também nessa altura, em contrapartida da permuta dos terrenos, foi construído um apeadeiro no Vidigal para serviço da Casa de Bragança e um cais na estação de Vendas Novas para escoamento de produtos agrícolas da “Sereníssima Casa”.

Mais recentemente, em 2010/11, a “Linha do Alentejo” sofreu obras de modernização com a eletrificação do troço Bombel/Vendas Novas/Casa Branca, tornando mais rápida a ligação de Vendas Novas a Évora e Lisboa.

Morada: Largo 5 de Outubro, Vendas Novas
Site oficial: www.cp.pt